COMO TRATAR A DOENÇA DE LYME EM CÃES


Como tratar a doença de lyme em cães

Os cães são infectados com a doença de Lyme por um carrapato que passa a bactéria Borrelia burgdorferi para a corrente sanguínea. Para um carrapato infectar um cão com esta bactéria, deve permanecer grudado no cão por 48 horas.

Os cães que vivem nos estados das regiões do Atlântico Central e Nordeste, incluindo Nova Iorque, Pensilvânia, New Hampshire e todos os estados costeiros, do Maine à Carolina do Norte, assim como os cães nos estados da Região Centro-Oeste, incluindo Wisconsin, Minnesota, Michigan, Illinois, Missouri e Iowa ou ao longo da costa oeste, especialmente Califórnia e Oregon, são mais suscetíveis à doença de Lyme. Cães que tenham viajado para estas áreas também são propensos a se tornarem infectados por esta doença.

Se seu cachorro parece estar indisposto, mas ainda não seria hora de levá-lo ao veterinário, recomendo que você leia Veterinary Secrets Revealed 2.0 - este livro tem informações ótimas sobre muitas doenças, e pode ajudar você e saber se seria necessário ir ao veterinário! Aprenda, neste livro, como são os sintomas da doença de Lyme. Depois, saiba quais são as opções de tratamento para a doença de Lyme.

Os sintomas associados à doença de Lyme incluem:

Febre alta
Inchaço dos gânglios linfáticos
Mancar
Perda de apetite
Inflamação das articulações
Letargia

Se o dono do cão notar que seu animal tem esses sintomas, deve levar este cão ao veterinário. O veterinário fará um diagnóstico do problema através de:
Conhecer o histórico de viagens recentes do cachorro doente, para determinar se esteve em uma área endêmica, onde poderia ter sido exposto ao carrapato transmissor da doença.
O veterinário irá realizar um exame físico para procurar por sinais clínicos típicos.
O veterinário irá extrair sangue, para realizar um exame de sangue e procurar a bactéria Borrelia burgdorferi. Se o seu cão tem os sinais, seu veterinário discutirá com você o tratamento para a doença de Lyme.

O tratamento para cães com doença de Lyme pode incluir: 
Terapia antimicrobiana. Depois de ter sido tratada inicialmente, deve haver uma melhora na condição do cão dentro de 48 horas.

Terapia antibiótica 

Doxiciclina, administrada via oral a cada 12-24 horas, é lipossolúvel e relativamente barato, mas não pode ser dada a cães em fase de crescimento. Esse antibiótico também trata outras doenças transmitidas por carrapatos.

Outros antibióticos, como a cefalexina, amoxicilina e tetraciclina, são freqüentemente usados com muito sucesso.

A terapia antibiótica não elimina a bactéria Borrelia burgdorferi responsável pela doença de Lyme, mas suprime as bactérias de modo que os sintomas diminuem. As bactérias permanecerão em estado latente no corpo do cão.

O prognóstico para cães com a doença de Lyme é muito bom. Com tratamento, os cães diagnosticadas com esta doença devem começar a ter sinais de melhora em menos de 2 a 3 dias. Mas é importante manter os cães em tratamento durante todo o prazo de prescrição da terapêutica antibiótica. Mesmo que o tratamento tenha sido bem sucedido, uma recorrência da doença de Lyme pode acontecer, e neste caso o cão deve voltar a receber antibióticos.

A prevenção pode ser a chave para manter os cães saudáveis e livres da doença de Lyme. É feita com o uso de repelentes para carrapatos, e higiene diária. Os cães podem receber uma vacina para a doença de Lyme, mas ainda há muita controvérsia sobre se esta vacina realmente protege ou não o cão da doença de Lyme.

Fonte Por: Teresa Carvalho

Matérias